Cabo Verde vence Portugal pela primeira vez na história

Tubaroes AzuisPortugal perdeu com Cabo Verde por 2-0, em jogo de carácter amigável. Odair Fortes e Gegé fizeram os golos dos "Tubarões Azuis". Esta é a primeira vez na história - à terceira foi de vez - que a selecção nacional leva os lusos de vencidos.

Depois de Bernardo Silva ameaçar pela esquerda num centro que Hugo Almeida não conseguiu desviar, Portugal tomou conta do jogo a partir dos 14 minutos. Vozinha negou o golo a Vieirinha aos 15 minutos com grande defesa e voltou a fazer o mesmo aos 19, a remate de Bernardo Silva na área após centro de Vierinha.

Os "Tubarões Azuis", com melhor entrosamento e mais velozes nas alas, responderam em contra-ataque e com golo. Aos 21’, Nuno Rocha deu mal na bola e falhou o primeiro após centro de Odair. Mas aos 38, Odair Fortes fez o 1-0 para Cabo Verde. Em mais um lance de contra-ataque, o extremo do Reims de França meteu na área, a bola ganhou um efeito estranho e entrou junto ao segundo poste, apesar da estirada de Anthony Lopes (podia ter feito mais). Era a primeira explosão de alegria nas bancadas do António Coimbra da Mota.

Portugal, que sentia inúmeras dificuldades para entrar no último reduto cabo-verdiano em lances de bola corrida, vai sofrer o 2-0 as 43 minutos. Num livre de Heldon, Júlio Tavares desviou ao primeiro poste para Gegê aparecer ao segundo e fazer o 2-0. Tudo simples e eficaz. O resultado penalizava a lentidão do meio-campo luso, que não conseguia criar jogo. Apenas os homens das alas, em especial Bernardo Silva, mostravam mais ambição em ganhar o jogo. Na frente, Hugo Almeida não conseguia superiorizar-se a Fernando Varela e Gegê.

Com Ukra em campo no lugar do apagado João Mário, Portugal entrou no segundo tempo determinado em dar a volta ao texto. Vieirinha viu Vozinha negar-lhe o golo aos 47. Hugo Almeida esteve perto do primeiro da turma de Fernando Santos aos 49 mas o remate saiu ao lado. A entrada era promissora mas tudo ficou mais complicado quando André Pinto foi expulso aos 60 minutos, depois de travar Heldon que ia isolado para a baliza.

Por esta altura a festa era crioula nas bancadas, com os adeptos cabo-verdianos a gritarem olés nas trocas de bola dos "Tubarões Azuis". A batucada crioula também entrou em cena, dando um colorido azul-e-branco às bancadas do António Coimbra da Mota, que teve várias personalidades ilustres, entre eles o Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca.

As muitas substituições feitas no segundo tempo e o facto de Portugal jogar com menos um, tiraram alguma intensidade ao jogo. Entraram Éder, Pizzi, André André, Danilo Pereira e André Almeida na turma lusa. Até ao final do encontro, Portugal teve duas soberanas oportunidades para reduzir, por André André e André Almeida mas falharam o alvo.

Ao terceiro jogo entre as duas selecções (que Cabo Verde perdeu por 4-1 em 2006 e empatou a zero em 2013), Cabo Verde consegue finalmente vencer.

Fonte: ASEMANA online